Gringo fala sobre os 12 anos de Clube do Balanço


Em julho o Clube do Balanço completa 12 anos de estrada. Para comemorar, nossa equipe fez uma entrevista exclusiva com o Gringo, baixista da banda. A paixão do representante é visível em suas respostas.

Criado em 1999, o grupo se juntou com o objetivo de fazer bailes com discotecagem e música ao vivo. A primeira apresentação foi na COHAB I, em São Paulo. O sucesso foi tanto que resolveram continuar.

Com o tempo eles conquistaram um público fiel, espaço em casas noturnas e começaram a crescer. Em 2001 lançaram o primeiro álbum, intitulado Swing & Samba. O segundo, Samba Incrementado, veio quatro anos depois. Pela Contramão, o terceiro e último CD, chegou em 2009.

Curta a entrevista e conheça mais sobre um dos atuais ícones do samba rock. É assim que a equipe SRNV parabeniza o Clube do Balanço.

Clube do Balanço

SRNV: Qual é o segredo para manter a mesma formação até hoje?
Gringo: Temos uma paixão em comum, o Clube do Balanço.

SRNV: Hoje, após 12 anos e com três álbuns gravados, qual é a maior conquista do grupo?
Gringo: Há 12 anos a banda tinha uma proposta ousada, investindo em um estilo musical que estava totalmente afastado da mídia. Hoje, temos um retorno maravilhoso do público, comunidades de dança e bandas que se engajaram no mesmo estilo. Nossa maior conquista é continuarmos juntos, desfrutando do que convivemos no palco e dispostos a seguir assim por muito tempo.

SRNV: Por que afirmam que resgataram o Samba rock de forma despretensiosa?
Gringo: O nosso trabalho foi direcionado ao baile e não a um movimento cultural. Não tínhamos a pretensão de causar uma revolução musical, mas isso aconteceu naturalmente e de forma positiva.

SRNV: O público de hoje é muito diferente de 12 anos atrás?
Gringo: Além do nosso público tradicional, hoje temos uma nova geração de sambarockeiros que deram uma energia renovadora ao movimento, mas que tem a mesma alegria e elegância dos sambarockeiros clássicos.

SRNV: O que faz o grupo continuar produzindo este estilo musical como carro chefe?
Gringo: Steve Jobs, fundador da Apple, diz que inovação distingue o líder do seguidor. Isso acontece porque realmente fazemos a nossa música com o coração.

SRNV: O samba rock tem o devido espaço e respeito como música popular brasileira?
Gringo: O samba rock não é um estilo de música, é um estilo de dança oriunda de São Paulo. Como tal, está bem representado e crescendo constantemente. O que determina se uma música vai fazer parte do samba rock é o balanço que permite a dança e sua elegante coreografia. Como estilo de música ainda tem um grande caminho para trilhar, mas já demos uns bons passos.

SRNV: Cite uma característica que resuma o Clube.
Gringo: O esbanjo de swing! Ninguém fica quieto nos nossos shows (risos). Somos uma banda dedicada a fazer música para dançar samba rock e é assim que somos reconhecidos.

Samba Rock Na Veia
Arte, lazer e cultura com a levada do samba rock.

+ Não há comentários até o momento

Adicionar o seu