Adauto Dhemix conta como suas montagens foram parar no vinil na década de 80


DJ Adauto Dhemix conta um pouco da sua história e como a música discotecada influenciou e influencia sua vida até hoje.

“Quando saí da equipe Black Mad em 1980, minhas montagens de samba rock estavam fazendo sucesso, como se diz no meio, vinham fazendo barulho, pois as pessoas admiradoras do ritmo e que dançavam, não tinham ainda ouvido nada nesse sentido. Você fazer uma mistura de várias músicas, com os equipamentos primitivos na época, era muito difícil” relata Adauto. Não é difícil notar a longa data que o DJ realiza seu trabalho, vamos adiante.

Reprodução - Jornal da época

Reprodução – Jornal da época

O DJ também conta que “eu levava um gravador de rolo no baile e disparava minhas montagens, era a novidade, não existia DJ de equipe que mixava no baile e durante 1981, fiquei editando, cortando e emendando fitas para fazer esse trabalho no intuito de colocá-lo para tocar na rádio, na época fazia muito sucesso o programa Band Dance na transmissora Band FM. Enfim em 1982, assumi os toca-discos da equipe Circuit Power, dando continuidade ao meu trabalho para manter a discotecagem rítmica consistindo em manter a pista balançando o tempo todo”.

Adauto explica “era mais tempo sem intervalo de uma música para outra, mais popularmente falando, ‘colocar na batida’, gíria da época. Posteriormente em São Paulo se espalhou a notícia das montagens e um lojista chamado Oswaldo da Disco Mania, hoje Mr. Groove, ele já vendia discos de vinil, mas queria também vender as fitas, os cassetes com as montagens e eu aceitei, foi um estouro em sua loja, várias pessoas adquiriram as montagens em fitas fazendo com que essas pessoas também aparecessem em grande número nas festas em que eu discotecava”.

Posteriormente Dhemix cita que “a gravadora Mag Master Som me oferecendo a possibilidade de fazer as montagens para serem prensadas diretamente no vinil, arregalei os olhos e, claro, aceitei”.

A então proposta feita ao DJ Adauto Dhemix aconteceu em 1984, a primeira tiragem ocorreu no ano seguinte. Uma segunda tiragem viria a acontecer logo depois, com o título Na Ponta da Agulha.

O DJ fecha o relato com a mensagem “a minha vida é a discotecagem”.

1ª tiragem

2º tiragem

Samba Rock Na Veia
Samba rock e outras culturas

+ Não há comentários até o momento

Adicionar o seu